Introdução: Leituras do país dos "descobrimentos" no final do século XX.

  • Pedro Cerdeira Université de Genève, Instituto de História Contemporânea (FCSH — UNL), Centre d'Études Lusophones

Resumo

O primeiro dossiê temático da revista Língua-lugar, coordenado por Pedro Cerdeira, reúne artigos da autoria de Pedro Martins, Marta Araújo, Nazaré Torrão e Octavio Páez Granados, e Catarina Duff Burnay.

O dossiê revisita a Expo’98 e produtos culturais a ela associados, designadamente a ópera Corvo Branco e a telenovela Terra Mãe. Interrogando a forma como a exposição se apropriou do período histórico da expansão marítima, o dossiê pretende ser um contributo para o entendimento do impacto de iniciativas comemorativas e da construção da identidade nacional no Portugal contemporâneo. Para tal, convoca o contributo de diferentes disciplinas, nomeadamente a história, as ciências da comunicação, as ciências da educação e os estudos literários.

Biografia Autor

Pedro Cerdeira, Université de Genève, Instituto de História Contemporânea (FCSH — UNL), Centre d'Études Lusophones

Pedro Cerdeira é licenciado e mestre em História pela Faculdade Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. Atualmente é assistente no Departamento de História Geral da Université de Genève, onde desenvolve a sua investigação de doutoramento sobre a administração colonial na Guiné-Bissau e o papel dos intermediários africanos na gestão quotidiana do império, no quadro de um projeto financiado pelo Fundo Nacional Suíço para a Investigação Científica. É investigador associado do Instituto de História Contemporânea da Universidade Nova de Lisboa e membro do Centre d'Études Lusophones da Université de Genève. Publicou o livro A Sociedade Propaganda de Portugal e a Construção do Turismo Moderno (1888-1991) (Imprensa de Ciências Sociais, 2019).

Referências

Acciaiuoli, M. (1998). Exposições do Estado Novo. 1934-1940. Livros Horizonte.

Cardão, M. (2018). “Foram oceanos de amor: Os descobrimentos portugueses na cultura pop dos anos 80”. Portuguese Studies Review, 26 (1), 99-148.

— (2019). “A grande aventura. Televisão, nacionalismo e as comemorações dos Descobrimentos portugueses”. Práticas da História, Journal on Theory, Historiography and Uses of the Past, 8, 11-47.

Castelo, C. (1998). O Modo Português de Estar no Mundo. O Luso-Tropicalismo e a Ideologia Colonial Portuguesa (1933-1961). Porto: Edições Afrontamento.

Ferreira, C. (1998). “A Exposição Mundial de Lisboa de 1998: contextos de produção de um mega-evento cultural”. Revista Crítica de Ciências Sociais, 51, 43-67.

— (2006). A Expo’98 e os Imaginários do Portugal Contemporânea. Cultura, celebração e políticas de representação. Tese de Doutoramento em Sociologia. Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra.

Galopin, M. (1997). As exposições internacionais do século XX e o BIE. Lisboa: Expo’98.

Relatório. Exposição Mundial de Lisboa de 1998. (1999). Lisboa: Parque Expo’98, S.A.

Vicente, F. L. (2003). Viagens e Exposições: D. Pedro V na Europa do Século XIX. Lisboa: Gótica.

Publicado
29-06-2020
Como Citar
Cerdeira, P. (2020). Introdução: Leituras do país dos "descobrimentos" no final do século XX. Língua-Lugar : Literatura, História, Estudos Culturais, (1), 33 - 43. https://doi.org/10.34913/journals/lingua-lugar.2020.e204
Secção
Dossiê: A Expo'98 e o Portugal pós-imperial em busca de uma narrativa nacional